Blog do Instituto VIVA

Envelhecimento da coluna vertebral

9 de março de 2019

Como postado anteriormente, a unidade funcional da coluna vertebral é composta (Figura 1) pelo corpo vertebral, arco posterior (apófises espinhosas e transversas), disco intervertebral, ligamentos e músculos de duas vértebras adjacentes. Esta é a estrutura fundamental para que a coluna vertebral exerça bem as suas funções de proteger a medula espinal e prover movimento e estabilidade ao tronco.

image

Figura 1 - Unidade Funcional da Coluna vertebral. Fonte

O envelhecimento biológico leva à perda de substâncias importantes das estruturas musculoesqueléticas: colágeno, fibras elásticas, proteoglicanos e causa uma diminuição gradual na capacidade de reposição e regeneração do organismo. Assim, há uma perda gradual de algumas aptidões físicas: flexibilidade, força e resistência muscular, que diminuem a capacidade funcional do indivíduo e podem trazer dor e desconforto.

A associação do envelhecimento biológico com os males do sedentarismo: sobrepeso e sarcopenia podem agravar o quadro de dor, gerando as limitações e incapacidades.

O que acontece na coluna vertebral, quando ficamos mais velhos.

O processo de envelhecimento se inicia no momento que paramos de crescer e nos desenvolver, mas, se torna mais perceptível a partir dos 50 anos. A idade cronológica é um balizador, mas cada pessoa tem seu próprio ritmo de envelhecimento.

Na mulher, a menopausa pode ser considerada um fator determinante, pois a carência do estrógeno se associa com uma série de modificações no organismo. Nos homens, as perdas funcionais são mais graduais, mas nem por isso, menos importantes. Uma das alterações mais visíveis é a mudança da postura, diretamente relacionada às mudanças na coluna vertebral.

A diminuição da estatura e a inclinação anterior do tronco são esperadas com o envelhecimento, mas um bom programa de exercícios ajuda a retardar estas alterações (Figura 2).

image

Fonte

image

Fonte

Figura 2 - Você está encolhendo?

As mudanças ósseas, musculares e das outras estruturas da coluna vertebral contribuem para as mudanças na postura (Figura 3).

image

Figura 3 – Mudanças na coluna vertebral e pelve do envelhecimento. Fonte: Aula “Envelhecimento Saudável “- Julia Greve - 2006.

Nem sempre, estas alterações significam doença. Podem ser consideradas como as "rugas e pés de galinha" da coluna vertebral. Não são "benvindas", mas vão ocorrer e precisamos nos preparar para enfrentá-las da melhor maneira possível.

Vamos mostrar agora algumas das modificações que ocorrem nas estruturas da coluna vertebral.

Disco intervertebral

Uma das doenças da coluna vertebral mais conhecidas é a hérnia de disco. Muitas pessoas ouviram dos seus médicos que tem uma ou mais hérnias de disco em diferentes níveis da coluna vertebral. Outras foram informadas que a sua coluna vertebral é mais velha que os anos já vividos com uma enorme quantidade de “bicos de papagaio”. É evidente que estas não são boas notícias, mas precisam ser bem entendidas.

O envelhecimento do disco intervertebral está relacionado com sua função. É uma estrutura que suporta as cargas e pressões do nosso corpo quando estamos em pé, sentados e nos movimentando, e por isso sofre desgaste com o tempo.

image

Figura 4 – Corte transversal do disco intervertebral. Fonte

Na Figura 4, observa-se que o disco tem uma estrutura externa, mais rígida, o anel fibroso que envolve o núcleo pulposo, uma estrutura gelatinosa, que tem um papel muito importante na absorção dos impactos. O envelhecimento pode causar danos nas duas estruturas.

O anel fibroso pode se deformar ou romper. O núcleo pulposo pode sofrer um processo de desidratação e perder suas propriedades de absorção do impacto ou, pela ruptura do anel fibroso, o conteúdo extravasar e formar a hérnia de disco. Na Figura 5 pode se observar as várias maneiras do envelhecimento (degeneração do disco intervertebral).

image

Figura 5 - Alterações que podem ser vistas no disco intervertebral com o envelhecimento. Fonte

A hérnia de disco pode comprimir as raízes nervosas que saem da medula espinal e vão para os braços (coluna cervical) e pernas (coluna lombar), causando dor irradiada (ciatalgia) e outras alterações neurológicas como perda se sensibilidade e paralisias.

A dor ciática é causada pela compressão das raízes nervosas que formam o nervo ciático (Figura 6).

image

Figura 6 – Dor ciática e suas principais causas: protrusão e hérnia de disco. Fonte

O diagnóstico da hérnia de disco é feito pelo exame físico e pela imagem (ressonância nuclear magnética). Algumas vezes, a queixa e quadro clínico dos pacientes não são coincidentes a o achado da ressonância, fato que indica que a dor não é causada pela hérnia e sim por outro motivo. A presença desta relação é muito importante, principalmente quando há necessidade de uma cirurgia.

O disco intervertebral se modifica com os anos, mas nem sempre as alterações são doenças, mas consequências do processo natural do envelhecimento. Assim, entender o processo do envelhecimento da coluna vertebral, pode nos ajudar a conviver.

Arco posterior (articulações interapofisárias)

As articulações interapofisárias também sofrem um processo degenerativo com o envelhecimento, caracterizado pelas osteoartrites. Ocorrem lesões da cartilagem que também podem causar dor e desconforto (Figura 7). As alterações ocorrem de forma simultânea nos discos intervertebrais e nas articulações interapofisárias.

image

Figura 7 – Osteoartrite interapofisiária. Fonte

As alterações estruturais causadas pelo envelhecimento biológico podem afetar a estabilidade da coluna vertebral.

A manutenção da estabilidade depende da integridade das estruturas envolvidas: osso, disco intervertebral, arco posterior e ligamentos.

A instabilidade degenerativa, que pode acometer discos e articulações interapofisárias, é considerada uma das principais causas de dor na coluna vertebral. Na Figura 8 pode se ver o escorregamento anterior e tem relação com as alterações do envelhecimento biológico.

image

Figura 8 – Escorregamento anterior da vértebra por lesões degenerativas. Fonte

Conclusão e recomendações

Nossa coluna vertebral, como todas as estruturas do nosso corpo se alteram com o processo de envelhecimento biológico. É importante saber disso e respeitar os sinais do nosso corpo.

As alterações causadas pelo envelhecimento biológico precisam sempre ser avaliadas de acordo com a sintomatologia referida por cada um dos pacientes.

Por mais importante que sejam as imagens e exames cada dia mais sofisticados, os sintomas, sinais e informações de cada paciente também são muito importantes, pois ajudam a fazer o diagnóstico exato do que está acontecendo, de qual estrutura está acometida e de qual é o melhor tratamento de cada caso.

O envelhecimento saudável da coluna vertebral e de todo o resto está diretamente relacionado com manutenção do peso corporal e da atividade física regular. Manter-se ativo com os músculos fortes é a melhor terapia antienvelhecimento que pode ser feita para a manutenção da capacidade funcional.

Na próxima publicação abordaremos mais extensamente as hérnias e protrusões discais: diagnóstico, tratamento e prevenção.


Júlia Maria D'Andréa Greve

Blog mantido por Júlia Maria D'Andréa Greve, Professora Associada da Faculdade de Medicina da USP e Diretora do Instituto Viva Saúde & Fitness. Você pode segui-la no Twitter.  Se preferir, cadastre abaixo o seu endereço de e-mail para ser avisado das novidades.