Blog do Instituto VIVA

Ombro doloroso - síndrome do impacto

9 de abril de 2019

O ombro é a articulação mais móvel do corpo humano e é fundamental para a maior parte das atividades da vida cotidiana. Exemplos onde a função do ombro é essencial: pentear o cabelo, prática de esportes, estender roupas, entre outras.

A maior parte das nossas atividades exigem a elevação/ movimento do ombro (Figuras 1 e 2).

image

Figura 1 - Pentear cabelo. Fonte.

image

Figura 2 – Atividades esportivas. Fonte.

O ombro é uma articulação complexa e com uma grande amplitude de movimento (Figura 3). A cabeça do úmero (osso do braço) que faz a articulação com a escápula (glenóide) é grande em relação à superfície articular.

image

Figura 3 – Articulação do ombro. Fonte.

Esta relação entre a cabeça do úmero grande e superfície articular da glenóide pequena (relativamente) permite a grande amplitude de movimento, mas exige que a articulação seja estabilizada pelos ligamentos e tendões, dentre os quais se destaca o manguito rotador.

O manguito rotador, composto pelos tendões de quatro músculos: supra-espinhal, infra-espinhal, redondo menor e subescapular, é fundamental para o bom funcionamento da articulação do ombro. Os tendões do manguito rotador funcionam como estabilizadores do ombro, mantendo a cabeça do úmero no lugar durante os movimentos de elevação anterior e lateral do ombro (Figura 4).

image

Figura 4 – Manguito rotador (rotator cuff) – tendões estabilizadores da articulação do ombro. Fonte.

A disfunção e/ou lesão dos tendões do manguito rotador é a causa mais frequente de dor no ombro e pode ser causada por sobrecarga (esforço excessivo) nas pessoas mais jovens e/ou esportistas ou por lesões degenerativas nas pessoas mais velhas. O tendão do músculo supra-espinhal é o mais, frequentemente, acometido.

Esta síndrome causada por falência dos tendões do manguito rotador é chamada de síndrome do impacto e pode afetar outras estruturas da região como a bursa subacromial e o tendão da cabeça lona do bíceps braquial.

É uma lesão progressiva que pode levar à ruptura e necessidade de cirurgia para reparação dos tendões.

O quadro clínico mais comum é a dor na região do ombro ou no braço durante a elevação do braço. O sinal do impacto, dor em uma parte do arco do movimento pode estar presente (Figura 5).

image

Figura 5 – Sinal do impacto durante a elevação anterior e lateral do braço. Fonte.

Em casos mais avançados, principalmente na presença de rupturas tendinosas, a dor noturna é muito frequente. É causada pela migração superior da cabeça do úmero na posição deitada.

As alterações biomecânicas podem levar à inflamação da bursa (bursite), que causa dor mais intensa e aguda, mesmo no repouso, principalmente pela grande vascularização e inervação do local.

A dor dada pelo impacto das estruturas que ficam abaixo do arco córaco-acromial com as superfícies ósseas aparece com o movimento de elevação anterior ou lateral do ombro, e pode desaparecer no repouso. O impacto acontece por falência da ação estabilizadora do manguito rotador.

O diagnóstico é feito pelo exame físico associado ao exame de imagem (ressonância magnética ou ultrassonografia) para avaliar as condições da articulação e suas estruturas.

O tratamento da síndrome do impacto é variável pois depende da avaliação da etiologia (causas) da dor e da disfunção biomecânica.

Nos casos agudos, pode haver necessidade de tratamento medicamentoso para combater a inflamação e a dor, para posteriormente introduzir um programa de fortalecimento dos músculos do manguito rotador, que corrigirá as alterações biomecânicas.

Cuidados na execução dos exercícios:

  • Iniciar qualquer programa de exercício após o diagnóstico e recomendação médica.
  • Buscar a orientação de fisioterapeuta.

A ajuda de fisioterapeuta é importante para uma boa orientação de exercícios para o ombro, mas alguns deles podem ser feitos em casa, desde que não causem dor. Alguns exercícios básicos para a lesões do manguito rotador, podem ser vistos na Figura 6.

Recomendações com relação aos exercícios apresentados:

  • Não elevar o braço acima da linha do ombro para não causar impacto.
  • Sempre usar os extensores elásticos menos resistentes e mais flexíveis (Theraband branco ou amarelo)
  • Fazer cinco repetições de cada tipo duas vezes por dia.

image

Figura 6 – Exercícios com extensores elásticos para manguito rotador. Fonte.

Na nossa próxima publicação falaremos um pouco sobre a capsulite adesiva ou síndrome do ombro congelado.


Júlia Maria D'Andréa Greve

Blog mantido por Júlia Maria D'Andréa Greve, Professora Associada da Faculdade de Medicina da USP e Diretora do Instituto Viva Saúde & Fitness. Você pode segui-la no Twitter.  Se preferir, cadastre abaixo o seu endereço de e-mail para ser avisado das novidades.